Poder Feminino nos Mangás e Animes

Quantos mangás e animes com as histórias mais incríveis, dignos de prêmios, lágrimas e muito amor existem por ai com AUTORAS por trás deles. Isso mesmo, MULHERES que sustentam grandes histórias e que apesar de enfrentarem uma época de dor e anulação por conta do sexo feminino, se colocaram a frente da cultura e da sua sociedade e traçaram um caminho muito lindo nos proporcionando tanto conhecimento e conteúdo. Lógico que esse movimento machista que contribuía para o trabalho de quase anulação da mulher dentro dessas questões da escrita de contos, mangás, livros, filmes e todo e qualquer trabalho que tirasse a mulher do estado de dependência masculina, seja financeira, social, emocional ou que fosse algo que desenvolvesse olhares de admiração à essas mulheres seria sim questões de censura e repudia masculina fazendo um movimento contra a existência dessas pontes.  Claro que isso ainda existe com grande força, mas sabemos que à cerca de trinta, vinte anos atrás ou mais, era uma questão ainda mais conturbada e quase sem nenhum apoio de outras mulheres, que infelizmente ainda viviam imersas em um momento de pouco despertar, reproduzindo falas e formas de como existir em meio a uma sociedade machista e manipuladora. Atualmente conseguimos perceber que nossas mulheres estão cada dia mais se conectando umas com as outras e hoje se movem para dar as mãos, mulheres que despertaram de formas lindas e lutam. Elas estão ai, passaram por muita coisa, mudaram seus nomes, se anularam, mentiram seus nomes, nunca ganharam o verdadeiro reconhecimento por aquilo que haviam escrito, colocando à frente muitas pessoas para que o conteúdo tivesse chegado onde hoje se encontra, ou seja, no sucesso!
Falando em mulheres maravilhosas eu também vou falar de histórias maravilhosas, obras que essas  deusas publicaram e que fizeram e fazem a diferença no universo da indústria dos mangás e animes.

 

Então vamos lá eu vou começar pelo o meu amorzinho, vocês já devem ter notado várias fotos aqui no site do mangá e do ova que eu admiro e gosto muito, o estiloso Angel Sanctuary obra de Kaori Yuki, é um mangá lançado, aqui no Brasil, pela editora Panini e possui 40 volumes, no entanto, em seu modelo original Japonês, a série contava com cerca de 20 volumes que, quando chegaram aqui, foram divididos ao meio. A história é linda e envolve uma luta contra o paraíso… Setsuna Mudô (reencarnação do anjo Alexiel) e Sara Mudô são irmãos, que nutrem um amor cheio de tabus que revolta sua família, tendo assim a mãe tentado afastar os dois, o que foi inútil já que ambos se amam de forma reciproca. Sara morre tentando salvar Setsuna em uma briga, ele então se vê desesperado e inicia ai uma jornada da parte mais sombria do Inferno (Hades) à parte mais remota do Céu em busca da alma de sua irmã. O mangá é incrivel os ovas conseguem expressar muito bem os sentimentos de amor, dor e revolta. Leiam e assistam!

 

É de coisa boa que a gente gosta então é coisa boa que teremos, vamos falar do tão admirado admirado FullMetal Alchemist, mangá de Hiromu Arakawa que contém 27 volumes sendo 109 capítulos. Tenho certeza que será lembrado como um clássico, Arakawa fez um trabalho de toda a sua genialidade de forma impecável. Em uma única obra temos a junção que consegue incluir de forma majestosa a existência do amor materno, o amor entre dois irmãos e também o amor pelo próximo, todos de forma muito bem explorada, personagens fortes e cada um com sua especificidade. A história gira em torno dos irmãos Edward Elric e Alphonse Elric, que com a morte de sua mãe tentam com a alquimia traze-la de volta. A Técnica da Alquimia: toda a prática consiste numa troca justa, equivalente e proporcional de materiais. Mas o que era um sonho se torna pesadelo e esta tentativa é em vão e o pior acontece, Edward é confrontado com a perda do seu braço direito e da sua perna esquerda e o seu irmão, Alphonse, com o dissipar de todo o seu corpo. A partir dai a história segue um rumo intenso de muita luta, amor e dor destes dois personagens pela Pedra Filosofal, que talvez consiga  aumentar exponencialmente os poderes de um alquimista sendo feita então através dela a recuperação dos seus corpos.

 

D. Gray Man por Katsura Hoshino.
Achei o anime muito bom, um mangá lindo e anime lindo, ost das aberturas muito boas, enfim já inicio assim com declaração fofa para essa obra. Katsura nos trouxe a história do jovem exorcista Allen Walker, um menino que tem um olho amaldiçoado e vê o sofrimento de Akumas criados pelo Conde Millenium. A história conta com com 24 tankōbon (tankobon é uma expressão usada para livro/volume independente), é com um total de 103 episódios do anime tendo também um spinoff de nome Reverse, de autoria de Kaya Kizaki. Me lembro bem que nos por volta de 2010 em vários eventos de animes o publico otaku adorava fazer cosplays dos personagens desse anime, eu mesma pensei na época em fazer porque achava realmente tudo de muito bom gosto. Ficou ai uma vontade sem realização, pelo menos vi muita gente se realizando e isso me deixou feliz.  

 

Ahhh, vou finalizar falando de dois amorzinhos da minha vida, Paradaise Kiss e Nana, simmm, eles moram no meu coração. Eu tive um caso de paixão muito séria com esses mangás/animes e as lives actions. Ai Yazawa é a responsável por tanto amor e estilo que essas duas obras transbordam, suas duas paixões se unem de uma forma que fica impossível que a gente não se emocione e não se apaixone.

 – Paradaise Kiss conta a história de uma menina de 17 anos, perdida em um mundo onde o seu objetivo é ser sempre a primeira da classe e se vê fazendo cursinho por pressão da família e está para prestar o vestibular, andando na rua ela se topa com um rapaz com um visual punk e dali se inicia o começo de sua jornada por uma descoberta como mulher e seu amor pela moda. A história é linda e conta com 12 episódios do anime, 5 volumes do mangá e 1 live action.
 
 – Nana, vem com uma proposta parecida se fomos observar a intensidade das mulheres dessa história, dos seus amores e o processo de empoderamento, aqui o amor não é apenas a moda, o foco é a música e claro que o estilo de todos os personagens chamam muito à atenção. Tendo 21 volumes do mangá, 47 episódios do anime e 2 live action, a história começa com nomes iguais se encontram totalmente por acaso em um trem no japão. Tudo continua levando elas a uma série de coincidências sem fim e elas acabam indo morar juntas, e se tornam melhores amigas, uma união que começou totalmente do nada se torna talvez a relação mais importantes que ambas tiveram na vida e apesar de terem personalidades totalmente opostas uma da outra, aprendemos que o amor e amizade estão acima e além disso. 

 

“Mas, se fosse o caso, é possível que eu não tivesse tantas lembranças felizes agora. Porque a paixão é sempre acompanhada da dor, e quanto maior a paixão maior é o sofrimento que ela proporciona.”

(Ai Yazawa – Anime Nana)
 Kisu ◕‿◕