Kaze Tachinu/Vidas ao Vento

Hayao Miyazaki, a mente por trás de várias das melhores animações do estúdio Ghibli (do mundo para mim), vidas ao vento é uma obra incrível desse mestre, a história é sobre Jiro Horikoshi, o designer do avião de caça, que foi largamente usado pelo Japão na segunda guerra mundial, e é parcialmente baseado em uma história trágica de Tatsuo Hori (escritor, poeta e tradutor do mais longo período de todos os reinados dos imperadores japoneses anteriores). Jiro Horikoshi, vive em uma cidade do interior do Japão, criar um novo tipo de avião e vê-lo voar é sua meta de vida, ele tem o sonho de estar voando em um avião com formato de pássaro. A partir desse sonho, ele decide que construir esse avião, e colocá-lo no ar, durante sua jornada, ele conhece a encantadora Naoko, por quem se apaixona, no entanto, Naoko fica profundamente doente, sem saber se sobreviverá. Ao decorrer do filme ele mostra que não irá deixar de dedicar tempo à sua obra e nem ao amor de sua vida, Naoko. Uma história muito bonita e motivadora, pois ciente de todas as  suas limitações sobre a miopia não permitirá que esse sonho não se realize, vale à pena assistir vidas ao vento. A trama mostra que com o passar dos anos Jiro se reencontra com Naoko, eles se tornam noivos, por conta de sua doença ela é hospitaliza, um do tempo ela foge do hospital para morar com Jiro e eles se casam no mesmo dia, um amor que vale a vida literalmente. É super difícil escolher entre tantas obras maravilhosas desse homem com uma mente brilhante, vou falar minha opinião sobre cada obra dele aqui, porque eu amo todas. 

 

Eu aprendi a aceitar o fato de que eu posso ser útil apenas numa área na minha proximidade imediata, digamos um raio de 30 metros ou, no máximo 100 metros. Eu passei a aceitar as minhas próprias limitações. No passado, eu costumava me sentir obrigado a fazer algo pela humanidade. Mas eu mudei bastante com o passar dos anos. Houve um tempo em que me envolvi com o movimento socialista, mas eu devo dizer que era bastante ingênuo. Quando eu vi um retrato do Mao Tse-tung pela primeira vez, achei a cara dele revoltante. Mas todo mundo me dizia que ele era “um grande e bom homem”, então eu tentei pensar que era só um retrato ruim. Eu deveria ter confiado na minha intuição. Essa não foi certamente a única vez em que fiz uma decisão ruim. Eu ainda sou um homem de muitos erros.” Hayao Miyazaki

Kisu!

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *